Banco Mundial quer usar inteligência artificial para combater a fome

24 de setembro de 2018

size_960_16_9_inteligencia-artificial15

Microsoft, Amazon e Google decidiram se associar a organizações internacionais para prevenir o risco de fome em todo o mundo por meio da inteligência artificial, segundo uma iniciativa divulgada no último domingo (23).

Em vez de combater a fome uma vez que ela tenha levado muitas vidas, os gigantes da alta tecnologia “usarão o poder dos dados” para analisar, antecipar situações de risco e agir antes que degeneram em uma crise humanitária real”, explicam o Banco Mundial e as Nações Unidas em uma declaração.

Em 2017, mais de 20 milhões de pessoas do nordeste da Nigéria, da Somália, Sudão do Sul e Iêmen enfrentaram a fome devido a uma série de fatores combinados: conflito, pobreza, desastres climáticos e preços dos alimentos.

Além disso, 124 milhões de pessoas vivem atualmente em situações de insegurança alimentar.

“O fato de milhões de pessoas, muitas delas crianças, ainda sofrerem de desnutrição e fome no século 21, é uma tragédia global”, declarou o presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, no comunicado. “Estamos formando uma coalizão global sem precedentes para dizer ‘basta'”, acrescentou.

O Mecanismo de Ação contra a Fome (FAM) fornecerá os primeiros sinais de alerta para identificar crises alimentares que poderiam se transformar em fome. Isso acionará os programas de financiamento para uma resposta rápida.

“Se pudermos prever quando e onde a fome ocorrerá, poderemos salvar vidas respondendo mais cedo e com mais eficácia”, disse Brad Smith, presidente da Microsoft.

Google, Microsoft, Amazon Web Services e outras empresas de tecnologia fornecerão seus conhecimentos para desenvolver uma série de modelos analíticos chamados “Artemis” que usam inteligência artificial e ‘aprendizado de máquina’ para fazer previsões em tempo real sobre o agravamento de crises alimentares.

“A inteligência artificial e o aprendizado de máquina são muito promissores na detecção de escassez de alimentos relacionados a falhas de safras, secas, desastres naturais e conflitos”, explicou Smith.

O aprendizado de máquina (“machine learning”) é um método usado na inteligência artificial que, a partir de algoritmos, examina um conjunto de dados para analisar novas situações.

O FAM será inicialmente lançado com um pequeno grupo de países vulneráveis ​​antes de ser estendido ao mundo. Os líderes dedicados a este projeto se reunirão no dia 13 de outubro para discutir sua implementação.